Inspirações

Quer mudar a sua vida e não sabe como? Ela dá-lhe as respostas que sempre procurou.

Sempre quis partir à aventura, mas por uma razão ou por outra foi deixando esse sonho para trás? Gosta de viajar mas não quer gastar muito dinheiro? Talvez aquilo de que precisa esteja mais próximo do que pensa. Ou melhor, talvez seja mais fácil, do que aquilo que pensa.

Em Outubro de 2014 surgiu o “Para Onde?”, a primeira plataforma online em Portugal que reúne diversos programas de voluntariado, trabalhos temporários, estágios e work exchange nas mais variadas áreas – desenvolvimento comunitário, ciências sociais, desporto, apoio à infância, artes e cultura, animais, proteção ambiental, turismo, direitos humanos, educação, etc.” – diz-nos a autora do site, Inês Ferrão.

Novamira – Como é que tudo começou?
Inês – Desde sempre que gosto de viajar e fazer voluntariado. Quando ainda não tinha 18 anos, pedia imenso aos meus pais para fazer voluntariado no estrangeiro e, infelizmente, só encontrava oportunidades em agências americanas/inglesas que cobravam preços altíssimos por estes programas. Nunca deixei de pesquisar e, ao longo do tempo, fui encontrando imensas oportunidades de voluntariado, work exchange e trabalhos temporários por todo o Mundo. Arrisquei, experimentei, partilhei: Fiz o meu estágio curricular num centro comunitário de uma das maiores favelas do Brasil; fiz work exchange numa pousada no Rio de Janeiro e num hotel em Zanzibar, Tanzânia; coordenei centenas de voluntários em projectos sociais nas favelas; fiz parte de um programa europeu com refugiados menores africanos… A partir daí, sempre incentivei os meus amigos e familiares a fazerem o mesmo. Há cerca de 8 meses, quando estava em Itália a trabalhar com refugiados, lembrei-me de formalizar a ajuda que desde sempre tentei dar: criando assim o maior site em Português com oportunidades de voluntariado, work exchange e trabalhos temporários em todo o Mundo. Pedi ajuda a dois amigos para me ajudarem com a parte de webdesigning e design gráfico, contactei centenas de organizações e assim apareceu o “Para Onde?”.

N – Como é que escolhes as associações com quem trabalhas?
I – Tirei um bom tempo para pesquisar, por vários sites, organizações locais que precisem de voluntários nas mais diversas áreas. Contactei-as directamente para saber se tinham interesse em estar na base de dados do “Para Onde?”, li sobre sobre os seus objectivos e actividades e organizei toda a informação, traduzindo-a para Português e tornando-a apelativa e fácil de entender. Foram muitas horas dedicadas a criar uma base de dados simples, interessante e atractiva. O mais importante é serem organizações pequenas e locais, que realmente beneficiem dos voluntários e das suas competências e nunca aquelas que vejam este acordo como um negócio rentável.

N – Quem é que se pode candidatar?
I – opções para todo o tipo de potenciais voluntários. Há oportunidades de Serviço Voluntário Europeu totalmente financiadas (incluindo viagens de ida e volta) para jovens entre os 18 e 30 anos, programas que não exigem qualquer tipo de formação (a motivação é o mais importante), programas específicos para médicos com experiência, etc.

N – Que serviços ofereces no site?
I – O site tem toda a informação necessária para que um potencial voluntário encontre a sua opção ideal. No entanto, para aqueles que sintam que não têm tempo, orientação ou competências suficientes para organizar todo o processo, disponibilizo um serviço de ajuda personalizada – acompanhando o processo de decisão do projeto e questões burocráticas.

N – Porquê “Para onde?” (De onde vem o nome?)
I – O nome é uma brincadeira entre a reacção que os meus amigos e familiares têm quando eu digo que vou partir de novo – “Oh Inês, para onde desta vez?” – e o facto de realmente podermos fazer voluntariado em todo o lado – basta responder a esta questão!

N – Quantos projetos tens neste momento? Por quantos países?
I – Neste momento estão inseridas 190 oportunidades de voluntariado em 67 países.

Para ficar a saber mais sobre esta excelente iniciativa, assista à entrevista da Inês no programa Sociedade Civil e, claro, não deixe de visitar a plataforma!