Heróis

O seu padrão de beleza está desactualizado. E ela quer mudar isso.

video

Ficamos sempre felizes por saber que as mudanças na sociedade se vão fazendo a pouco e pouco, e que a inclusão de pessoas com deficiências é a palavra de ordem hoje em dia. E é notória essa mudança quando lemos casos como este, ou como o já aqui documentado caso do hotel que emprega apenas jovens com Síndrome de Down.

Calcula-se que, anualmente, um em cada 1000 bebés possa nascer com esta mutação genética, que consiste na duplicação do cromossoma 21 durante o desenvolvimento da gravidez. Em muitos casos, com o acompanhamento médico necessário, estas crianças podem crescer e fazer uma vida autónoma, sendo que o nível de dependência e o QI apresentado variam muito de caso para caso.

Mas o importante a reter é que com o acompanhamento certo, estas pessoas podem viver uma vida plena, feliz e desempenhar tarefas como qualquer outra pessoa. E este é o caso de Maddy, uma adolescente de Queensland, na Austrália, que decidiu que quer ser modelo e, com isso, mudar os padrões de beleza actuais.

Na nossa opinião, ela vai ter sucesso!

Dado que o vídeo não tem legendas em português, nós deixamos-lhe aqui a tradução livre dos textos apresentados:

Com 18 anos Madeline Stuart, uma modelo com Síndrome de Down, está a tentar mudar os padrões de beleza.

Maddy, de Brisbaine / Queensland, decidiu focar-se na sua saúde para perder quase 10 kg, peso que ganhou devido a uma condição genética e problemas com o seu coração.

Ela, com a ajuda da mãe Rosanne, tomou as rédeas da sua vida e está determinada a crescer na indústria da moda para fazer uma real diferença.

A Rosanne diz que repete todos os dias para a filha o quão “maravilhosa, inteligente, bonita e fantástica” ela é.

“A Maddy nunca foi egoísta e preocupa-se com toda a gente. No basquetebol, se alguém da equipa contrária cai, ela pára de jogar e vai ajudá-lo a levantar-se” conta a mãe.

“Ela é maravilhosa, ela é tão bonita e ela faz-me sentir tão especial.”

“No início a Maddie tinha problemas porque ela é muito de rotinas, e estava habituada a comer muito, por isso teve de quebrar esse ciclo. Eu dei-lhe imenso apoio e em cerca de dois meses ela tinha criado novas rotinas.”

Ela agora nada 5 vezes por semana, joga cricket com a equipa de paralímpicos, está na claque e dança hip hop com o seu grupo “Bust A Move”. Em Julho, a Maddy vai viajar para Los Angeles com o seu grupo para dançarem.

Ela está neste momento à procura de uma agência para impulsionar a sua carreira, com a ajuda da sua melhor amiga Jamie Lea e do seu namorado Robbie.

Nas palavras da sua mãe: “As pessoas com Síndrome de Down podem fazer tudo, só que têm de o fazer ao seu próprio ritmo. Dê-lhes uma chance e será recompensado muito além das suas expectativas. Acho que é tempo de perceber que as pessoas com Síndrome de Down conseguem ser bonitas e devem ser celebradas.”