Emoções

Nesta encantadora conversa entre pai e filho surge uma das mais bonitas mensagens de esperança.

video

Os ataques que aconteceram recentemente em Paris correram o mundo numa questão de horas. Não houve jornal, televisão ou revista que não cobrisse os atentados que tiveram lugar na capital francesa, fazendo centenas de vítimas.

Logicamente, entre os vários danos colaterais que um ataque destes comporta, estão também os danos psicológicos feitos não apenas às pessoas que sofreram diretamente com os ataques, mas a todos aqueles que vivem agora com medo. E esse medo é, neste momento, global.

E como é que explicamos a almas tão inocentes quanto as das crianças a razão por detrás destes ataques à liberdade humana? Como fazemos para alertar aqueles que nos são mais preciosos para o perigo, sem os fazer viver numa atmosfera de medo constante?

Este pai, vendo o seu filho com medo do que seguirá no futuro, explicou brilhantemente os acontecimentos da passada semana e, sobretudo, abriu uma portinha de esperança para a mente de um menino que não terá mais do que 4 ou 5 anos.

À falta de legendas em português, deixamos-lhe uma tradução livre daquela que poderá bem ser uma das mais bonitas mensagens de esperança, no panorama atual:

“Tu percebes o que aconteceu? Sabes porque é que estas pessoas fizeram isto?

Sim. Porque os senhores são muito muito muito maus. Os senhores maus não são muito gentis, os senhores maus.

E… é preciso termos cuidado, porque agora temos de mudar de casa.

Não te preocupes, não temos de mudar de casa. A França é a nossa casa.

Mas tem senhores maus, papá…

Sim, mas há senhores maus em todo o mundo. Há senhores maus em todo o mundo.

Eles têm pistolas e podem fazer-nos mal, porque eles são muito muito maus papá.

Sim, eles têm pistolas e nós temos flores.

Mas as flores não fazem nada, são para, são para, são para…

Claro que fazem, olha, toda a gente põe flores.

Sim…

É para combater as pistolas.

É para, é para proteger?

Exatamente.

E as velas também?

São para lembrar as pessoas que já partiram.

Ah… É para nos proteger as flores e as velas.

Sim.

Sentes-te melhor agora?

Sim, sinto-me melhor.”

Num presente marcado pela negritude e pelo medo, é essencial que se ilumine o futuro com esperança e mensagens positivas como esta.