Heróis

Milhares de mulheres e crianças deixaram de sofrer um dos maiores crimes da humanidade, graças a esta mulher.

video

Espalhados pelo mundo, há vários heróis e heroínas que diariamente se esforçam por dar uma voz àqueles que não conseguem falar por si.

Anuradha Koirala é uma activista social nepalesa, fundadora e agora directora da organização sem fins lucrativos Maiti Nepal, que dedica a sua vida a resgatar e dar um novo rumo a vítimas de tráfico humano no Nepal.

Neste vídeo, Anuradha foi nomeada para o prémio Herói do Ano da CNN, em 2010, e conta a história da sua organização e das dezenas de milhar de vidas que já mudou – desde 1993.

Aqui lhe deixamos uma tradução livre do conteúdo do vídeo:

[Demi Moore]: “Eu admiro a nossa próxima heroína por causa do trabalho sério e corajoso que ela faz. Todos os dias, esta mulher confronta o pior que a humanidade tem para oferecer. Ela diz “parem”, “parem de vender as nossas meninas”. Ao invadir bordéis e patrulhar a fronteira entre o Nepal e a Índia, ela salva raparigas de serem vendidas para comércio sexual, onde são repetidamente violadas para lucro, torturadas e escravizadas.

Desde 1993, ela já ajudou a resgatar mais de 12000 mulheres e raparigas. Através da sua organização Maiti Nepal, ela não só dá abrigo a estas raparigas e jovens mulheres, mas também uma casa. Um lugar onde podem melhorar, ir à escola, aprender uma profissão e para algumas, que estão infectadas com HIV/SIDA, um sítio para passarem os seus dias rodeadas de amor.

É por isto que eu admiro a nossa heroína Anuradha Koirala. Então, até vivermos num mundo em que todos sabem que um homem a sério não compra meninas temos uma heroína a lutar para as libertar com cada bater do seu coração.

[Relatos das raparigas]: Eu fui levada para Puna e fui vendida. Eu tinha 9 ou 10 anos nessa altura. No princípio eu era forçada e mandada para 4 ou 5 homens diferentes.

Eu tinha de o fazer. Se não o fizesse eles dava-me choques ou torturavam-me com electricidade. Num dia, eu tinha de servir 25 a 35 homens. Mas eu sobrevivi. Em vez de viver no inferno, eu vim para o paraíso.

[Anuradha]: Ela foi para a Índia. Não sabemos quem a levou. Agora ela está traumatizada. Ela também está grávida. Ela foi levada para a Índia por isso ela não consegue dizer nada.

Já vimos crianças que voltaram com pernas partidas, HIV positivo, e têm 14, 13 anos. E isso é muito triste! Elas ainda são crianças, sabe?

Maiti Nepal torna-se um paraíso seguro para elas, torna-se uma casa, o seu próprio espaço, onde podem agora ficar, trabalhar e ser felizes e aproveitar o resto das suas vidas.

Elas chamam-me Didī (lê-se Didju), que significa a irmã mais velha, por isso elas acreditam em mim. Estou muito orgulhosa disso, que as crianças realmente acreditam em mim.

[Todas]: Traficar as irmãs e filhas. Vamos parar com isso!

[Anuradha]: Estamos a fazer programas de sensibilização nas vilas. Vamos de porta em porta a fazer campanhas.

Os traficantes vão dizer “Ah ela tem baton, ela é provocadora. Podemos levá-la e vendê-la.”

Quando o traficante vem, ele nunca diz “eu vou levar a sua filha para ela se prostituir.” Ele vem e diz que há um bom trabalho na cidade.

“E se os trabalhadores te enganarem para ires com eles e te venderem?”

Por isso temos uma mensagem para toda a gente. Estamos a tentar educar todas elas e dizer-lhes que o tráfico é inumano.

Imagine apenas o que aconteceria se fosse a sua filha ali. E se a sua filha estivesse ali, o que é que faria? Como é que lutaria? Por isso temos de juntar as mãos, temos de ver cada criança como nossas filhas.

[Raparigas]: Mesmo que dediquemos o trabalho da nossa vida a ela, não seria o suficiente para lhe retribuir o que ela fez por nós. 

A minha mãe só me fez nascer. Anuradha deu-me tudo o resto. 

[Anuradha]: Eu quero uma sociedade livre de tráfico humano. Eu espero conseguir fazê-lo, um dia!

[Demi Moore]: Senhoras e senhores, é a minha honra apresentar-vos a heroína CNN, Anuradha Koirala.

[Anuradha]: Namasté. Hoje quero lembrar-me de todas as minhas meninas e sobreviventes de tráfico que estão em Maiti Nepal. Quero agradecer a Bishua, Bridget Anjo, Nissa. Por favor, fechem os vossos olhos e olhem para todas as crianças como as vossas próprias filhas. Em breve sentirão a sua tristeza e então vão sentir a força que vem de vós para as proteger. Tráfico humano é um crime, um horrendo crime. Uma vergonha para a humanidade. Eu peço a todos que se juntem a mim, para criarmos uma sociedade livre de tráfico. Precisamos de fazer isto por todas as nossas filhas. Obrigada, namasté.»

Para ouvir mais sobre esta extraordinária mulher e o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido para o combate a este crime contra os direitos humanos, assista à conferência TED dada pela própria em Fevereiro deste ano.