Heróis

Este médico deixou o consultório e passou a atender os pacientes na rua. E não podia ter melhor razão para o fazer.

video

Os cuidados médicos essenciais são, para muitos, um dado adquirido. Quando estamos doentes, quando nos sentimos mal, ou simplesmente quando queremos saber se continua a estar tudo bem com a nossa saúde, dirigimo-nos a um posto médico e somos vistos por um profissional especializado.

Mas para muitos outros, estes cuidados essenciais são um luxo. Por vezes porque não têm assistência médica no local onde vivem, outras porque a forma como vivem não lhes permite ter acesso aos cuidados médicos, muito menos a um seguro de saúde.

Este é o caso dos sem-abrigo, que regularmente têm doenças não-diagnosticadas que mais cedo ou mais tarde os levam às urgências de um qualquer hospital público, onde acabam por passar muito mais tempo do que o normalmente necessário caso tivessem tido a possibilidade de obter o diagnóstico mais cedo.

Para contornar este problema, Jim Withers dedica-se há 23 anos a cuidar da saúde dos sem-abrigo da cidade de Pittsburgh, nos EUA. No começo da sua iniciativa, Jim chegava mesmo a vestir-se como um sem-abrigo, a passar terra no cabelo e a sujar a roupa que usava, para se poder integrar nas pequenas comunidades e, assim, estabelecer com eles um diálogo que lhe permitisse introduzir os cuidados médicos necessários.

“Eu fiquei absolutamente chocado com o quão doentes as pessoas estão na rua. Foi como ir a um país de terceiro mundo. Novos, velhos, pessoas com doenças mentais, miúdos que fugiram de casa, mulheres que fugiram da violência doméstica, veteranos de guerra. E todos têm a sua história.”, diz Jim no vídeo acima.

Com o passar dos anos, a sua iniciativa privada passou a uma associação sem fins lucrativos, com o nome de Operation Safety Net (em português Operação Rede Segura). Desde 1992, a equipa, já tratou de mais de 10.000 indivíduos e ajudou mais de 1000 a transitarem das ruas para uma casa de acolhimento.

Como explicado no vídeo, Jim faz as “visitas domiciliárias” acompanhado por não mais de 4 pessoas: um assistente social, uma pessoa especializada em sensibilização e educação, um estudante de medicina e um médico – geralmente ele próprio. Antes de começarem qualquer tipo de entrevista, a equipa certifica-se sempre que os sem-abrigo aceitam a sua visita e a presença de todas essas pessoas no seu espaço. Além de fazerem as acções na rua Jim e a sua equipa também dispõem de uma carrinha móvel, centros de acolhimento e um consultório de cuidados primários, onde todos os sem-abrigo podem ter acesso a assistência médica.

Além da associação, Jim começou também um movimento à escala global de “medicina de rua”, através de outra associação sem fins lucrativos – o Instituto de Medicina de Rua – cujo objectivo é apoiar comunidades a levarem para a frente as suas próprias iniciativas.

Em entrevista à CNN, Jim Withers falou também do envolvimento de alunos do curso de medicina, dizendo que “Eles vêem quantas pessoas estão a viver em sítios onde ninguém quer viver. O tempo, a chuva, o frio.

Acho que eles também têm a oportunidade de ver sucesso. Quando eles conseguem ver um sem-abrigo ser bem sucedido e não apenas a ficar trancado naquela categoria sem qualquer esperança, a visão deles muda.

A aula na rua consegue realmente acender, ou reacender, a paixão deles. Eles sentem-se como “Sim, é disto que se trata!” E eles levam esse espírito com eles. Eu acho que as lições que os sem-abrigo nos ensinam sobre humanidade e ouvir o outro são transcendentes em todos os cuidados de saúde.

Os nossos alunos, eu gosto de os ver como vírus. E nós estamos a espalhá-los e eles chegam aos seus estágios e dizem “Têm medicina de rua aqui?” ou “Porque é que não estamos a ir debaixo de pontes?” E assim a mensagem vai passando.”

Jim Withers e a sua iniciativa fazem parte do TOP 10 dos nomeados para a categoria de Herói da CNN e, a nosso ver, com razão!

Para saber mais sobre esta iniciativa, não deixe de visitar a página da Operação Rede Segura ou do Instituto de Medicina de Rua. Convidamo-lo também a assistir à conferência TED dada pelo próprio Jim Withers, em Julho deste ano.