Heróis

Este barbeiro foi mais longe do que qualquer outro, para uma simples missão: cortar o cabelo de um menino autista.

video

Mason Lewis não recebia um corte de cabelo real há mais de dois anos. Isto porque, depois de algumas tentativas, o menino começou a reagir muito mal ao ambiente de salão e a tudo o que estava envolvido no processo de cortar o cabelo.

Uma vez que Mason não verbaliza o que sente, os pais não conseguiam perceber a razão do seu medo deste ambiente, mas viam que ele ficava visivelmente perturbado e por isso deixaram de o conseguir levar a qualquer tipo de cabeleireiro. Mas foi então que a mãe do menino recebeu a dica de entrar em contacto com James Williams, o dono de Jim the Trim, pois ele tinha experiência em lidar com crianças com autismo. Sabendo que não tinham nada a perder, Denine fez a marcação e James e Mason conheceram-se pela primeira vez.

Inicialmente, Mason não queria que ninguém lhe tocasse e entretinha-se no chão da loja, com o seu telemóvel, a ver filmes. Jim foi-se aproximando a pouco e pouco do menino, tentando cortar uma madeixa aqui outra ali, sempre que Mason o deixava aproximar-se.

Há uns dias atrás, contudo, James e Mason conseguiram ultrapassar uma importante barreira juntos: o primeiro corte de cabelo completo da vida do menino. Jim não avançou sem precaução. Como ele disse, numa entrevista, “é necessário ir descobrindo como ele vai reagir a certas coisas. Ele deitou-se no chão, a ver BBC News que estava em modo de repetição a cada 50 segundos, e por isso eu pensei “Ok, eu vou baixar-me e cortar bocadinhos” e de repente o salão ficou completamente em silêncio. E foi aí que eu percebi que esse silêncio era ele a autorizar-me a continuar a cortar. E foi quando assumi a posição, deitado de barriga no chão e inclinado para a direita para estar na melhor posição para cortar à volta das orelhas dele. E isso não pareceu perturbá-lo, foi maravilhoso.” 

Segundo Denine “quando ele chegou ao Mason e fez isso, foi o melhor sentimento do mundo.”

Numa questão de horas, a história de James e Mason espalhou-se pelo mundo e o barbeiro tem sido inundado com mensagens positivas e de agradecimento, com mães e pais a partilharem as suas histórias e a agradecerem-lhe por acender a esperança de que há alguém que os entende e que sabe trabalhar com estas crianças, mesmo que seja para algo que a maior parte de nós não valoriza assim tanto.

“Eu sou só um barbeiro, uma pessoa normal, mas fico tocado por ver quantas pessoas toquei e quantas pessoas consegui alcançar. Sinto-me motivado a promover isto e tentar chegar a famílias e ajudá-las, criar grupos, fundos de caridade para que também outros barbeiros possam estabelecer-se na América ou na Austrália e fazer algo com isso. O próximo ano para mim parece-me ser algo muito interessante, fora do Jim the Trim.”

Um gesto tão simples, mas com tanto impacto para a vida desta e de muitas outras crianças.