Emoções

Depois de perder o seu bebé há mais de 20 anos, ela recebe duas crias muito especiais.

video

Koko é uma gorila muito especial. Para começar, ela é b (se não mesmo a única?) que consegue comunicar com o ser humano através de Língua Gestual. O seu entendimento desta língua estende-se a cerca de 2000 palavras inglesas e a comunicação com os seus tratadores é feita utilizando cerca de 1000 sinais do “vocabulário primata”.
Como se não bastasse o seu conhecimento de língua gestual, Koko diferencia-se também dos outros primatas da sua espécie por gostar de cuidar de gatos!

A primeira vez que Koko teve um gato foi em 1983/84, quando aos 12 anos sinalizou aos seus tratadores que gostaria de ter um gato – e que o seu peluche já não era suficiente. Nessa altura, Koko adoptou “All Ball” (“todo bolinha”, porque na sua opinião o gato parecia uma bola de pelo), mas ao fim de apenas 6 meses, a família foi separada por um trágico acidente que vitimou All Ball. A reação de Koko ao receber a notícia foi das mais tocantes que já se registaram no mundo animal e ficou gravada neste vídeo. A história foi também registada num livro “Koko’s kitten” (“O gatinho de Koko”, em português), cujo objetivo era incentivar o respeito e a empatia pela espécie, apelando à conservação dos habitats naturais e à comunicação bilateral com estes animais.

A gorila, que desde então sempre quis voltar a ter gatinhos, viu o seu desejo cumprido no seu 44º aniversário, em julho deste ano. Koko recebeu uma caixa com uma ninhada de gatinhos, dos quais pôde escolher dois para adoptar.

Ela apaixonou-se imediatamente por um gatinho cinzento, mas foi presenteada também com a atenção de um outro gatinho, todo preto, que não a largava. Os instintos maternais começaram logo a fazer efeito e o carinho e a brincadeira não faltaram a estas duas crias que conheciam agora uma nova casa.

Além disso, Koko começou também a comunicar mais com a sua tratadora, Francine Patterson, da Fundação Gorila na cidade de Redwood, na California. Este aumento da comunicação e dos sinais usados pela primata ajudam a criar ainda mais conteúdo que a fundação pode usar para chamar a atenção e fomentar a empatia para com os grandes primatas.

Este trabalho é benéfico não só para os gorilas que se encontram em cativeiro como também para os que ainda estão em liberdade, já que encoraja a comunicação bilateral com estas espécies – o que por sua vez deverá resultar num maior cuidado e respeito para com estes animais.

Face aos novos acontecimentos e avanços na vida de Koko, a Fundação Gorila está agora a considerar lançar novamente o livro “Koko’s kitten” em versão multimédia, para que mais pessoas possam ser inspiradas a fazer do planeta Terra um lugar melhor para todos os seres conscientes.