Inspirações

Conheça o real impacto dos espaços verdes na educação das crianças.

Um novo estudo veio provar que a vegetação e os espaços verdes em torno das escolas reduzem a poluição do ar e melhoram a memória e a atenção das crianças.

De acordo com um estudo de 2009, cerca de 9% dos casos de asma são devidos ao tráfego rodoviário e à poluição do ar por ele causada. O ar poluído em redor das escolas está a expor as crianças a elementos como o carbono elementar, presentes em partículas microscópicas de gasóleo.

girl-67694_1280

Pelo contrário, a proximidade a espaços verdes e à natureza, em geral, tem-se provado benéfica para a saúde mental, a atenção e o humor, tanto em crianças como em adultos. O estudo publicado este mês sugere que estes espaços podem mesmo aumentar as capacidades cognitivas das crianças, em parte por protegerem os seus cérebros de gases e partículas poluentes.

Este estudo foi levado a cabo em Barcelona e envolveu 2623 crianças em idade escolar. Primeiramente foi registada a quantidade de espaços verdes perto das casas das crianças, no seus caminhos para a escola e em redor das próprias escolas. Seguidamente mediram a memória de trabalho e a atenção das mesmas, usando uma série de testes de palavras e números.

As crianças que tinham mais espaços verdes à volta das suas escolas mostraram maior progresso em ambos os parâmetros, durante um ano. E esta descoberta manteve-se positiva mesmo depois de terem sido relacionados fatores como o estatuto sócio-económico das crianças.

Isto porque as plantas absorviam grande parte do carbono elementar que se encontraria normalmente no ar, além de ajudarem a reduzir a poluição sonora da cidade e, consequentemente, os níveis de stress – enquanto aumentavam as oportunidades e a motivação para a prática de exercício físico.

oxford-379090_1280

Dado que mais de metade da população mundial vive em cidades, não se torna viável mudar todas as crianças para o campo! Contudo, os resultados deste estudo podem, e devem, motivar alterações no desenho das escolas e nas preocupações arquitetónicas envolvidas na construção de um espaço de ensino, bem como na regulamentação ambiental de cada país.

Artigo original no The Atlantic

Fotografias de Ron Porter, EME e WikiImages