Heróis

Como uma simples fotografia mudou a vida deste menino para sempre.

Não é raro, quando viajamos para países com índices de pobreza diferentes dos do nosso, ficarmos surpreendidos por pequenas imagens, pequenos gestos aparentemente simples, mas que carregam toda uma história por detrás.

E foi precisamente isso que aconteceu a Joyce Gilos Torrefranca, quando passou férias nas Filipinas. Numa noite como outra qualquer, Joyce passou à porta de um McDonald’s onde viu um menino filipino, de joelhos no chão a escrever numa pequenina mesa de madeira. Joyce, tocada pelo cenário que via, tirou esta foto ao menino e partilhou-a na sua página do Facebook com a legenda “Fui inspirada por um miúdo.”

O que ela não esperava com essa partilha era que a foto rapidamente se tornasse viral e ofertas de ajuda, monetária e não só, começassem a chover nas Filipinas, em busca do menino da fotografia.

A procura pelo menino foi motivada pela cadeia televisiva Abs-CBN News, que o conseguiu identificar como Daniel Cabrera, um menino de 9 anos que vive com a mãe e os seus dois irmãos num restaurante, desde que perderam a casa num incêndio. Espinosa, a mãe do menino, trabalha nesse mesmo restaurante, onde ganha 80 pesos, o que equivale a cerca de 4,60€, por dia. Com o pouco dinheiro que ganham, Daniel não costuma levar comida para a escola e, de noite, aproveita a luz que sai da janela do McDonald’s para estudar, já que a sua “casa” não dispõe de luz elétrica.

O sonho de Daniel é ser polícia porque “Eu quero ajudar as Filipinas.” diz o menino, numa entrevista de rádio à estação dzMM. Este era também um sonho do seu pai que, entretanto, faleceu. Segundo a sua mãe “[Daniel] é um menino muito estudioso e determinado. Ele insistia em ir à escola mesmo sem o dinheiro do almoço, porque eu não tenho dinheiro para lhe dar. Ele diz-me sempre: ‘Mamã, eu não quero continuar a ser pobre. Eu quero alcançar os meus sonhos.'”

As ajudas começaram a chegar a Daniel e à sua família pouco depois da estação televisiva os ter encontrado. Além de dinheiro, Daniel já recebeu materiais escolares, uniformes para a escola, um candeeiro de leitura e bolsas de estudo que o apoiarão até à universidade, graças a um político da região chamado Samuel Pagdilao. E não foi só Daniel que recebeu apoio. Espinosa recebeu dinheiro para começar um negócio seu, a igreja local, o governo e o gabinete regional de assistência social também receberam doações em nome do menino.

Para Violeta Cavada, responsável pelo gabinete de assistência social da cidade, “O problema é como gerir toda esta ajuda financeira. Ele tornou-se um símbolo para meninos pobres das slums [bairros de lata asiáticos] que não conseguem estudar porque não têm electricidade.”

Já Joyce Torrefranca não consegue acreditar que uma foto sua tenha produzido tanta mudança – positiva – na vida de uma pessoa. “Nunca pensei que uma simples fotografia pudesse fazer uma diferença tão grande. Obrigada a todos por partilharem a foto. Com isso conseguimos ajudar o Daniel a alcançar os seus sonhos. Espero que a sua história continue a tocar os nossos corações, para que continuemos sempre inspirados e motivados em cada situação que enfrentamos na vida.” – diz a jovem na sua página do Facebook.

Fotografia no artigo de Joyce Gilos Torrefranca.

Fotografia de capa retirada do vídeo do youtube sobre o menino.