Curiosidades

Como este deserto se transformou num dos mais espetaculares campos de flores do mundo.

Quando pensa na palavra deserto o que é que lhe vem imediatamente à ideia? Areia, terrenos áridos, secos e com pouquíssima vegetação, correto? Mas sabia que alguns desses desertos têm, por baixo de toda essa areia, plantas “hibernadas” que nas condições certas podem desabrochar e cobrir todo o solo?

Fotografia de La Patilla

Fotografia de La Patilla

A cada 5/7 anos, é esse o fenómeno que se dá no deserto do Atacama, no Chile. Este é um dos desertos mais áridos do planeta, mas durante a estação das chuvas é costume registar-se algum crescimento de plantas e flores que estiveram “adormecidas” durante alguns anos debaixo do solo, suportando temperaturas e condições climáticas extremas.

Fotografia de La Patilla

Fotografia de La Patilla

Este ano, por causa das alterações climáticas provocadas pelo fenómeno El Niño, as fortes chuvas, que provocaram algumas mortes e milhares de danos na zona norte do país, deram origem ao maior tapete de flores e vegetação que o deserto já viu nos últimos 18 anos.

Fotografia de La Patilla

Fotografia de La Patilla

O norte do Chile estava a sofrer com a seca há mais de 10 anos, mas este ano o país registou uma das mais altas taxas de pluviosidade desde há muito, fazendo com que o período de florestação (1 a 2 meses) se estendesse bastante mais do que o normal.

“Na região do Atacama, o deserto florido é mais impactante, pois passa de ser um areal a converter-se em enormes rotundas de flores” disse Marcelo Rosas, botânico do Inia – o Banco de Sementes do Chile.

Este Banco tem vindo, ao longo dos anos, a trabalhar no sentido de conservar as sementes endémicas em bancos ou jardins botânicos, já que o ambiente natural das mesmas tem sofrido muito com o aumento do turismo, o comércio ilegal destas plantas e o desenvolvimento de autoestradas, que poluem significativamente o ambiente.

Fotografia de La Patilla

Fotografia de La Patilla

Com temperaturas de 20º negativos e ambientes extremamente secos, os especialistas têm conseguido estender artificialmente a esperança de vida destas plantas por mais de 50 anos e garantir assim a sua sobrevivência.

Fotografia de La Patilla

Fotografia de La Patilla

“Há muitas plantas neste deserto que são muito frágeis e que estão em perigo de extinção. É fundamental que, além de proteger o seu ambiente natural, velemos pela sobrevivência das espécies.” declarou o especialista.